domingo, 31 de março de 2013

"Solitarizando-se"


 24 horas, sim... esse foi o tempo total que dormi praticamente de ontem para hoje. Tentando fugir da realidade, sonho. De vez em quando sinto pior como se estivesse acordada, porque percebo que o tempo passa e estou aqui, deitada martirizando-me, "solitarizando-me" (deixando-me sozinha)... Tantas coisas para viver, eu apenas fujo. E penso, tem um verdadeiro motivo para estar assim?! 
 Incapaz, é a palavra que me descreve... Não sei o que sou... Torna-se um incógnita impossível de descobrir.
Quero ler um livro, mas não consigo... Meus pensamentos tomam conta de mim enquanto leio... Vejo um filme, é mais fácil... Sim, para uma incapacitada como eu, não é uma novidade... Facilidade é a alma do negócio, é a minha alma.
 Escrevo, mas ao mesmo tempo luto contra as palavras que me descrevo, não quero ser assim. Sentir-se sozinha é horrível, ainda pior quando faço isso de propósito. Merda, merda, merda... Não consigo nem escrever direito, tenho uma trava e medo de falar algo errado.
 Quero mostrar a minha arte, mas, para quem e que arte?! Sou uma artista?! Queria ser atriz, escritora, produtora, chefe, cantora... Ah sim, cantora! A música me proporciona paz, felicidade em meus sonhos ou até tristeza... Música é energia!!! Mas tenho voz, capacidade para isso?! Amigos... Tenho amigos?! Nem sei mais... Fujo de tantas pessoas,  não sei mais se sou considerada ainda amiga.
 Amar, apaixonar-me... Sinto medo mas ao mesmo tempo um verdadeiro desejo de estar ao lado de alguém... desse alguém... O tempo passou e nem sei mais se terei isso de volta. Amor! Estou aqui, em plena prisão, cativeiro e esperando ser libertada por ti! Preciso ser valorizada, amada... Amar-me mais!

Um comentário:

Kato FerMon disse...

Você, sem saber, me descreveu em suas poderosa palavras...