terça-feira, 14 de novembro de 2017

“Eu quero a sorte de um amor tranquilo
Com sabor de fruta mordida
Nós na batida no embalo da rede
Matando a sede na saliva

Ser teu pão
Ser tua comida
Todo o amor que houver nessa vida
E algum trocado pra dar garantia“

Cazuza

sábado, 21 de outubro de 2017

Um frio na barriga
Coração alegre
Sentimento intenso ao mesmo tempo tranquilo
Saudade que não cabe no peito
Um ansiedade sem fim
Um desejo imenso de estar ao lado, junto e agarrada a ele
Só sei que lhe quero mais e mais

segunda-feira, 15 de abril de 2013

2 Lovers



 Dois amores. O primeiro foi por quem começou tudo, o segundo foi a continuação do que nem aconteceu com o primeiro. É, parece confuso... mas é pior do que isso! Meu coração agora está mais calmo, embora às vezes por pura carência, pula e esperneia feito criança mimada!
 O primeiro é pura fixação, o segundo também, mas de forma mais amena, pois tenho certeza que é recíproco. O primeiro é como uma coisa inatingível, que insisto em atingir (pois a esperança é a última que morre né?!). O segundo é atingível, mas os receios falam mais alto e não completamos tudo o que queremos completar. Busco um terceiro, para esquecer os dois primeiros e acabar com este ciclo vicioso.

domingo, 31 de março de 2013

"Solitarizando-se"


 24 horas, sim... esse foi o tempo total que dormi praticamente de ontem para hoje. Tentando fugir da realidade, sonho. De vez em quando sinto pior como se estivesse acordada, porque percebo que o tempo passa e estou aqui, deitada martirizando-me, "solitarizando-me" (deixando-me sozinha)... Tantas coisas para viver, eu apenas fujo. E penso, tem um verdadeiro motivo para estar assim?! 
 Incapaz, é a palavra que me descreve... Não sei o que sou... Torna-se um incógnita impossível de descobrir.
Quero ler um livro, mas não consigo... Meus pensamentos tomam conta de mim enquanto leio... Vejo um filme, é mais fácil... Sim, para uma incapacitada como eu, não é uma novidade... Facilidade é a alma do negócio, é a minha alma.
 Escrevo, mas ao mesmo tempo luto contra as palavras que me descrevo, não quero ser assim. Sentir-se sozinha é horrível, ainda pior quando faço isso de propósito. Merda, merda, merda... Não consigo nem escrever direito, tenho uma trava e medo de falar algo errado.
 Quero mostrar a minha arte, mas, para quem e que arte?! Sou uma artista?! Queria ser atriz, escritora, produtora, chefe, cantora... Ah sim, cantora! A música me proporciona paz, felicidade em meus sonhos ou até tristeza... Música é energia!!! Mas tenho voz, capacidade para isso?! Amigos... Tenho amigos?! Nem sei mais... Fujo de tantas pessoas,  não sei mais se sou considerada ainda amiga.
 Amar, apaixonar-me... Sinto medo mas ao mesmo tempo um verdadeiro desejo de estar ao lado de alguém... desse alguém... O tempo passou e nem sei mais se terei isso de volta. Amor! Estou aqui, em plena prisão, cativeiro e esperando ser libertada por ti! Preciso ser valorizada, amada... Amar-me mais!

sábado, 18 de agosto de 2012

Erros

Por que às vezes eu sinto que são por erros meus o que não acontece?! Será que sempre preciso carregar este martírio dentro de mim?! São tantas perguntas sem respostas que eu fico com medo. O medo pode ser uma proteção, mas em excesso é o que pode nos levar à  loucura. Neuroses e pensamentos cíclicos sem fim. Prender-me à algo inconsistente é igual a uma areia movediça, pode ser "engolido" a qualquer momento e não tem como escapar. Eu penso nas coisas boas que tenho, em tudo para não deixar-me tão pra baixo, mas não posso fugir de um sentimento que não vai embora. Quando o outro entenderá que a emoção me define? O uso da razão é levado pelo emocional, mas nem sempre é aquilo que queremos demonstrar. É difícil ter a felicidade plena, mas não impossível! Estou à busca deste encontro, só falta ele ser destemido e encontrar-me. Estou aqui de braços abertos, não tenho escapatória! Um dia irei cansar-me, sim, mas o que foi apagado pode ser aceso novamente.