terça-feira, 29 de maio de 2012

Selvagem

 Tenho uma agonia dentro de mim e não sei dizer o que é. Talvez seja de amor ou de tesão, sobre a vida profissional ou social... Tenho um peso no coração, uma vontade de chorar, de berrar, de estar alegre! Colo isso no papel para ver se adianta alguma coisa...
 Já não sei mais o que fazer, meu disfarce não é mais o mesmo, minhas defesas estão fracas. Quero sentir-me desejada, amada, sentir-me realizada.
 Estudos nem por um decreto entram na minha mente. Minha emoção fala mais que a razão. Parece que o passado encontrou-me de novo. Preciso dar espaço ao futuro.
 Canso-me das alegrias repentinas, dos carinhos rápidos e das carícias avassaladoras. Se for uma paixão que traga um prazer, mesmo que seja por pouco tempo, teria uma satisfação.
 Sou contraditória por vezes, mas tudo encaixa-se em salientar minhas vontades. Sou uma ser humano, um animal selvagem, sou os dois dependendo do momento. Sou um tudo ou um nada!